Myanmar

Dia a Dia:

1° Dia – Chegada a Mandalay e passeio pelas antigas cidades de Ava e Amarapura 

Pernoite: Mandalay 

Após trâmites de imigração, encontro com seu guia no aeroporto.
Siga para o sul da cidade de Ava, onde uma pequeno trajeto de ferry te levará para o outro lado do rio. Em um carro típico puxado a cavalo, saia para visitar o Monastério de Bagaya e as ruínas do Palácio Real e do Forte. Durante esse trajeto, é possível avistar vários vilarejos típicos do interior do país e inspirar-se pelos modos de vida simples dos birmaneses. Tempo livre para almoço antes de retornar para o carro. 
No caminho de volta à cidade, faça uma parada em Amarapura, a antiga capital do país. Primeiro, visite um ateliê de tecelagem e então siga para a Ponte U Bein para um passeio ao longo da construção de mais de 200 anos. Aproveite a caminhada e as maravilhosas paisagens.
Continuação para o hotel.

2° Dia – Em Mandalay: passeio guiado pela cidade 

Pernoite: Mandalay 

Pela manhã, encontre com seu guia e saia para um passeio guiado pelos destaques da cidade, como o mercado de pedras preciosas e a Pagoda Mahamuni. Finalize o passeio na Colina de Mandalay para assistir um lindo por do sol. 

3° Dia – Ida de Mandalay para Heho, traslado para Nyaung Shwe e passeio de barco pelo Lago Inle 

Pernoite: Nyaung Shwe 

Traslado para o aeroporto de Mandalay e embarque com destino a Heho. Na chegada, traslado para o vilarejo de Nyaung Shwe, porta de entrada para conhecer o Lago Inle. No caminho, faça uma visita ao monastério Shwe Yan Pyay.
Se o horário de chegada permitir, será possível visitar o mercado onde locais se reúnem toda manhã para comprar e vender produtos frescos. Em um triciclo típico local, faça um passeio pelas margens do canal e observe a agitada atividade matinal dos barcos e moradores descarregando mercadorias. 
Continue até alcançar as margens do Lago Inle. Então suba em um barco privativo e sinta a incrível energia de estar em uma das mais espetaculares paisagens de Myanmar. 

4° Dia – Em Nyaung Shwe: passeio pelo Lago Inle 

Pernoite: Nyaung Shwe 

Pela manhã, visite o mercado diário do lago.
Esse mercado é itinerante nas vilas ao redor do lago e muda sua localização a cada 5 dias. Ele é visitado pelos moradores do próprio vilarejo, mas também por tribos da montanha que vêm vender e trocar mercadorias. 
Do meio do lago, continue por um pequeno canal que leva à vila Pa-oh. A pé, explore a área, suba as escadarias que levam ao topo da colina coberta de estupas e, de lá do alto, desfrute da linda vista do lago. 
Retorne ao barco e siga em direção ao hotel. 

*O mercado fica aberto todos os dias, à exceção dos dias de lua negra e lua cheia.  

5° Dia – Ida de Nyaung Shwe para Bagan 

Pernoite: Bagan 

Manhã livre para explorar Nyang Shwe ao seu ritmo.
Após o almoço, traslado para o aeroporto de Hero e embarque com destino a Bagan. Na chegada, traslado para o hotel. 

*Opcional: para a manhã desse dia, é possível organizar um passeio de bike até Red Mountain Estate, uma vinícola escondida nas colinas Shan. São de 5 a 10km de pedalada (dependendo do hotel escolhido), passando por fazendas e vilarejos. No local, desfrute de uma degustação de vinhos.  

6° Dia – Em Bagan: passeio pela cidade, navegação pelo rio Irrawaddy e visita ao tempo Kyauk Gu U Min 

Pernoite: Bagan 

O dia será destinado a conhecer alguns dos tantos templos de Bagan. Depois de fazer uma visita ao mercado Nyaung – Oo, onde poderá ver de perto o estilo de vida da população local, siga com direção à Pagoda Shwezigon, uma das mais importantes estruturas da cidade e onde milhares de pessoas se juntam para orar e refletir.
Após o almoço, embarque a bordo de um barco privativo e navegue em direção ao templo Kyauk Gu U Min. Durante o trajeto, faça uma parada na vila de pescadores Sae Lan.
De volta ao barco, desfrute de uma relaxante navegação de volta para Bagan (aprox. 1h de viagem). Traslado para o hotel.  

7° Dia – Ida de Bagan para Yangon, visita guiada à cidade e embarque de volta ao Brasil 

Pela manhã, traslado para o aeroporto e embarque com destino a Yangon. 
Na chegada, encontro com seu guia e passeio pelo centro da cidade. Veja o fabuloso mix de arquitetura e as ruas repletas de prédios históricos. Conheça os bairros de Little India e Chinatown e o mercado Bogyoke, o mercado de artesanato mais conhecido da região. Continue para a Pagoda Shwedagon, o templo budista mais reverenciado do país. 
Retorno ao aeroporto e embarque de volta ao Brasil

Incluído no Roteiro

Passagem Aérea  
Em classe econômica nos trechos internos Mandalay / Heho / Nyaung U / Yangon, emitidos localmente.

Hospedagem
2 noites com café da manhã em Mandalay;
2 noites com café da manhã em Inle Lake;
2 noites com café da manhã em Bagan.

Traslados
Privativos de chegada e saída em todas as cidades do itinerário;

Passeios 
Conforme descrito no roteiro, em serviço privativo com guias locais falando inglês (consulte-nos sobre suplemento para guia falando espanhol).

Assistência Internacional
Plano ASSIST CARD AC60. Consulte-nos sobre informações e coberturas incluídas.

Não Incluído no Roteiro

Imposto de remessa ao exterior (IRRF) de 6,38%;
Passagem aérea Internacional e Taxas de embarque;
Despesas com documentação;
Despesas pessoais como telefonema, lavanderia e gorjeta;
Passeios além dos citados neste programa;
Refeições e bebidas não citados nos itens incluídos;
Qualquer outro item não mencionado como incluído.

Não inclui parte aérea pois os valores dos voos mudam quase diariamente. Sabendo disso, fazemos a consulta no ato da reserva para verificar as melhores condições.

Quando ir: janeiro a abril | outubro a dezembro

Sem contar o tempo de ida e volta, Myanmar requer no mínimo oito dias, que podem ser explorados em uma ordem lógica para facilitar os voos internos: primeiro Yangon, onde param aviões internacionais; depois, os milhares de templos de Bagan; as antigas capitais imperiais de Mandalay e arredores viriam em seguida; e o Lago Inle, acessível por um voo até Heho, finaliza bem o roteiro. Vale a pena conjugar Myanmar com alguns dos países vizinhos do Sudeste Asiático.

MOTIVOS PARA VIAJAR – Recém-aberta ao turismo, a antiga Burma preserva a magia que fascinou desde exploradores como Marco Polo, no século 13, até os colonizadores ingleses do século 19. Das paisagens com milhares de templos de Bagan aos rostos besuntados de pasta branca por toda parte, tudo remete a um tempo mágico e a um espaço sem igual – e praticamente inexplorado por viajantes.


PAISAGEM DA JANELA – O cartão-postal por excelência de Myanmar é a sucessão de templos amarronzados espalhados no entardecer de Bagan. Yangon e Mandalay, as duas maiores cidades, são rodeadas por fantásticos templos budistas dourados e têm bairros que fazem lembrar os da Havana cubana, com a decadência elegante de prédios coloniais velhos, cheios de varais de roupas nas fachadas. O Lago Inle tem sua imensidão aquática povoada por palafitas, plantações flutuantes e barcos de pesca.


NÃO DÁ PRA PERDER – Em Yangon, tente estar no Shwedagon Pagoda – o mais importante templo desse país budista – no entardecer, quando suas luzes se acendem: é um delírio para fotógrafos. Na região de Inle, o lago de mesmo nome ganha um charme especial quando se navega com um barqueiro que manipula o remo com uma perna só, enquanto as mãos são usadas para jogar a rede de pesca.

POR QUE IR AGORA  Porque se você demorar, excursões do mundo inteiro vão descobrir essa terra quase virgem de turistas e o lugar pode começar a perder o charme de não ser nem um pouco globalizado. Por enquanto, tudo ali é único – as pessoas têm o hábito de proteger a pele com pasta de thanakha e até a grafia local mais parece um amontoado de pontos e vírgulas.


EXPERIÊNCIAS INCRÍVEIS
 – Em Bagan, acorde cedo e siga para a área do parque arqueológico antes de o sol nascer. Seja de bicicleta, de van, de carroça, seja de riquixá, o importante é ver o astro-rei dourar as paredes dos templos sagrados. No fim do dia, volte para escolher no alto de qual templo vai se emocionar com o pôr do sol. Se for a época boa, não titubeie em fazer o sobrevoo de balão.


OLHAR
 – Ainda que os templos sejam fascinantes, nada substitui a experiência de interagir com os birmaneses – e de conhecer as manifestações culturais que melhor os traduzem. Em Mandalay, uma experiência que ajuda a entender as tradições é o espetáculo de marionetes, que tem uma pequena orquestra ao vivo. Para se atualizar na cena artística atual das grandes cidades, recomendamos uma visita à galeria de arte contemporânea TS1, em Yangon.

Requisitos

  • Passaporte brasileiro: mínimo de 6 meses da validade;
  • Seguro Saúde: Recomendamos sempre que for viajar;
  • Visto: brasileiros precisam de visto de entrada em Myanmar
  • Vacina: É exigido comprovante de vacina contra febre amarela

Consulte-nos.

30% de entrada à vista (depósito em conta) e saldo parcelado em até 6x s/ juros no cartão (pessoa física).

Em todas remessas internacionais há incidência do IR  6,38% – cobrado junto a entrada.

*Valores e condições sujeitas a confirmação de acordo com disponibilidade de lugares no ato da reserva.